CAMPEONATO MATO-GROSSENSE – 1.976

CLUBES PARTICIPANTES:

DOM BOSCO (CUIABÁ)

OPERÁRIO (VÁRZEA GRANDE)

COMERCIAL (CAMPO GRANDE)

COMERCIAL (POCONÉ)

MIXTO (CUIABÁ)

OPERÁRIO (DOURADOS)

OPERÁRIO (CAMPO GRANDE)

S. E. INDUSTRIÁRIA (CAMPO GRANDE)

UBIRATAN (DOURADOS)

UNIÃO (RONDONÓPOLIS)

CHAVE NORTE: 1º TURNO

07/03/1976 Mixto 2×1 Comercial-P Pastoril e Bife;José Geraldo
14/03/1976 Dom Bosco 2×2 União Gilson Lira(2);Jaburu e Fidélis (DB)
17/03/1976 OperárioVG 5×0 Comercial P Mosca(2),Pelé,Humberto e Adilson
21/03/1976 Mixto 2×2 União Gilson Lira e Ernâni; Bife e Oberdan(M)
24/03/1976 Dom Bosco 2×1 Comercial P Jaburu e Joel Diamantino; Joaci©
28/03/1976 OperárioVG 1×1 União Ruiter (U) e Pelé( O)
04/04/1976 Dom Bosco 1×0 OperárioVG Pelego
04/04/1976 Comercial P 0x4 União Gilson Lira (2), Ruiter e Índio
18/04/1976 Mixto 1×1 Dom Bosco Bife (M) e Pelego (DB)
21/04/1976 OperárioVG 1×1 Mixto Bacuri (O) e Humberto (M)

CAMPEONATO MATO-GROSSENSE DE 1.975

gilson-lira-1-975       Gilson Lira, artilheiro do Estadual em 75 com 14 gols.

Em 1.975 o União Esporte Clube entrou para disputar o certame Mato-grossense disposto a apagar a má impressão deixada nos anos anteriores (1.973/1.974) quando ficou na última colocação naqueles estaduais. Para atingir o seu objetivo o presidente Lamartine da Nóbrega, ao lado do parceiro Adelson de Souza e demais membros da diretoria reforçou o seu plantel trazendo de imediato o artilheiro do Estadual de 1.973 Gilson Lira e o melhor meia armador do Estado Ruiter Jorge de Carvalho do Operário Varzeagrandense (campeão Estadual em 1.973). Também com eles veio o lateral esquerdo Jefferson Lira (ex-Operário) e seleção mato-grossense. No comando da equipe estava Genésio do Carmo técnico prata da casa. O colorado fez a sua preparação fazendo amistosos contra clubes goianos.

Clubes participantes do Estadual de 1.975: ´Dom Bosco e Mixto de Cuiabá, Operário de Várzea Grande, Operário e Comercial de Campo Grande, Marítimos de Corumbá, Ubiratan de Dourados e União de Rondonópolis.

O Estadual foi dividido em dois turnos com o Comercial ganhando ambos, mas no segundo o campeão seria o União, mas o time de Campo Grande recorreu no tapetão e ficou com os pontos do jogo contra o Dom Bosco, evitando o confronto com o colorado rondonopolitano que ficou com o vice campeonato.

1º TURNO

 

 

Dom Bosco 1 x 0 UNIÃO – *********************
Mixto 1 x 1 UNIÃO – Gilson Lira
UNIÃO 4 x 0 Marítimos – Gilson Lira(3) e Ruiter
Comercial 3 x 0 UNIÃO – *********************
Operário (CG) 1 x 1 UNIÃO – Gilson Lira
Ubiratã 0 x 0 UNIÃO – *********************
Operário (VG) 1 x 3 UNIÃO – Gilson Lira (3)

 

 

2º TURNO

 

 

UNIÃO 0 x 0 Comercial – *********************
UNIÃO 0 x 0 Mixto – *************************
UNIÃO 4 x 2 Dom Bosco-G. Lira(2), Ruiter e Dedeus
UNIÃO 3 x 0 Operário(VG) – Gilson Lira(2) e Chundi
UNIÃO 1 x 2 Operário(CG) – Gilson Lira
Marítimos 1 x 1 UNIÃO – Zé Carlos
UNIÃO 1 x 0 Ubiratã – Gilson Lira

JOGOS: 14; VITÓRIAS: 05; EMPATES: 06; DERROTAS: 03

GOLS PRÓ: 19; GOLS CONTRA: 12; SALDO:07

 

ARTILHARIA DO CAMPEONATO

 

1º – GILSON LIRA (UNIÃO)                          14

2º – CARLINHOS (COMERCIAL)                    08

3º – COPEU (COMERCIAL)                           07

uniao-1975Em pé: Sorriso, Mário Sérgio, Carlinhos, Dedeus, Índio e Zé Carlos; Agachados: Pindu, Pelezinho, Gilson Lira, Chundi, Ruiter e Bochecha (Massagista).

UNIÃO, TRICAMPEÃO DO TORNEIO INCENTIVO (CBF)

10336675_751990564822899_3618002946078668647_n1O TORNEIO INCENTIVO FOI PATROCINADO PELA CBF (ANTIGA CBD) NO PERÍODO DE 1.975 A 1.979. PELO UNIÃO FUI TRICAMPEÃO EM 1.975/1.976/1.979 E PELO COMERCIAL EM 1.977 APENAS NÃO CONQUISTEI EM 1.978 FICANDO COM O VICE, SENDO O DOM BOSCO O CAMPEÃO NO SALDO DE GOLS. O TIME DA FOTO GARANTIU O TRI INVICTO PARA O VERMELHINHO DO SUL.

NO COMERCIAL (MS) TRÊS TÍTULOS EM 77/78.

f-03-rui-cesar-ciro-copeu-cruz-sarao-areinare-gilson-lira-laercio-diogoEM MINHAS ANDANÇAS PELO BRASIL AQUI ERA O ANO DE 1.977 E EU ESTAVA NO COMERCIAL DE CAMPO GRANDE (MS) AO LADO DE FERAS COMO SARÃO, ROBERTO CÉSAR, CIDO, COPEU, LAÉRCIO, CRUZ E DIOGO. ESTOU DE FRENTE AO GRANDE TÉCNICO VICENTE ARENARE COM O QUAL CONQUISTAMOS TRÊS TÍTULOS: TAÇA CAMPO GRANDE, TORNEIO MARCELO MIRANDA E TORNEIO INCENTIVO (CBF).

GILSON LIRA NO BANGU (RJ) EM 1.968.

EM 1.968 TIVE O PRAZER DE DEFENDER AS CORES DO BANGU (RJ) NA ÉPOCA COMANDADO POR EUZÉBIO DE ANDRADE (PAI DE CASTOR DE ANDRADE) QUE LEVOU O BANGU A SER CAMPEÃO CARIOCA EM CIMA DO FLAMENGO. NESTA FOTO DO JORNAL DOS ESPORTES ESTOU CHUTANDO A BOLA PARA O GOL DIANTE DO GOLEIRO BENÍCIO, TENDO AO LADO UBIRAJARA, DECO E JAIR.
EM 1.968 TIVE O PRAZER DE DEFENDER AS CORES DO BANGU (RJ) NA ÉPOCA COMANDADO POR EUZÉBIO DE ANDRADE (PAI DE CASTOR DE ANDRADE) QUE LEVOU O BANGU A SER CAMPEÃO CARIOCA EM CIMA DO FLAMENGO. NESTA FOTO DO JORNAL DOS ESPORTES ESTOU CHUTANDO A BOLA PARA O GOL DIANTE DO GOLEIRO BENÍCIO, TENDO AO LADO UBIRAJARA, NECO E JAIR.

TÚNEL DO TEMPO – GILSON LIRA NO ABC (RN)

ABC - BICAMPEÃO POTIGUAR EM 1.970/1.971 - RIO GRANDE DO NORTE
ABC – BICAMPEÃO POTIGUAR EM 1.970/1.971 – RIO GRANDE DO NORTE

    Neste Túnel do Tempo quero relembrar um tempo muito feliz que tive ao vestir a camisa do mais querido do Rio Grande do Norte, o ABC. Meu pai Joãozinho já havia defendido esse clube alvinegro que ao lado do América Mineiro são os únicos no Brasil a serem decacampeões estaduais (dez anos seguidos). Tive a honra de ajudar com os meus gols a conquistar o bicampeonato em 1.970 e 1.971.

 

TÚNEL DO TEMPO

16 DE MAIO DE 1.976 UM DIA MEMORÁVEL PARA A TORCIDA COLORADA. COM ARBITRAGEM DO ÁRBITRO FIFA OSCAR SCOLFARO E UM LUTHERO LOPES LOTADO, UNIÃO E MIXTO DECIDIRAM A CHAVE NORTE NO MATO-GROSSENSE. O MIXTO TINHA BIFE, PASTORIL, RÔMULO, NÉLSON, ARI MARTINS, TUTA, MIRO, ARI CONTIJO… MAS O UNIÃO TINHA UMA TORCIDA FANÁTICA E UM TIME DE GUERREIROS. NO FINAL 3X2 PARA O COLORADO E NÓS COLABORAMOS COM OS 3 GOLS. UNIÃO, CAMPEÃO INVICTO DA CHAVE NORTE COM 4 JOGOS E 4 VITÓRIAS. RELEMBRE DOS DETALHES DO JOGO COM RECORTE DA REVISTA PLACAR:

uniao-3x2-mixto

TÚNEL DO TEMPO

Nos anos 70 a CBF promovia grandes torneios pelo Brasil e dava chance aos clubes do interior participarem de grandes jogos com clubes dos grandes centros. O América carioca tinha um timaço na época e participou do Torneio Centro-Oeste. O jogo foi no Morenão e terminou em 1×1 e tive a honra de marcar o tento do Comercial num goleiro muito bom que era o Paes. Na foto ele voou bonito mas não deu para evitar o nosso gol. Eu estou de branco e a bola na rede para a felicidade da torcida do Manda Brasa. Um grande momento de nossa carreira de artilheiro.

comercial-x-america-rj

 

TÚNEL DO TEMPO

Um momento raro na vida do União, a equipe que conquistou o seu primeiro título como profissional, o Torneio Incentivo em 1.975 patrocinado pela CBD (atual CBF) estava com uma camisa tricolor e não a tradicional vermelha que traduzia a garra daquela equipe que fez o Luthero Lopes ser batizado de “Caldeirão do Diabo”.

Na foto está faltando o Ruiter, os demais são da esquerda para a direita: JOFRE, ÍNDIO, CELSO, MAURINHO, MÁRIO SÉRGIO, GILSON LIRA, PELEZINHO, LUIZINHO, SALDANHA, DEDEUS, VALTINHO, ERNÂNI, BOTA E GENÉSIO DO CARMO (TÉCNICO).

f-22

TÚNEL DO TEMPO

O Bangu foi o meu primeiro clube profissional (antes estive no Flu, mas atuei na base). Numa época de ouro da sua história, pois o presidente era Euzébio de Andrade (pai de Castor de Andrade), carinhosamente chamado de “Seu Zizinho”. Ele, ao lado de Mário Filho assistiu ao jogo em que jogando pelo Bom Jardim marquei três gols na vitória por 3×2 em Friburgo, conversou com o meu pai que autorizou a minha ida para o Bangu. Mário Filho que dá nome ao Maracanã viria a falecer nesse mesmo ano de 1.966, ano em que o Bangu foi campeão carioca em cima do Flamengo na vitória por 3×0 no Maraca. Ubirajara, Fidélis, Mário Tito, Luiz Alberto, Ari Clemente, Jaime, Ocimar, Paulo Borges, Bianchini, Aladim (cujo apelido era “cabeça de porco”, mas ele não gostava) e tantos outros. Naquela época tinha a disputa do campeonato de aspirantes na preliminar da primeira divisão com outros craques que se misturavam aos juvenis. Assim disputei nas duas categorias com Sidiclei, Bicas, Milano, Dirlei, Dé, Jorginho, Ivan, Santa Cruz e vez em quando ganhava 10 minutos contra os pequenos na divisão principal. Nesta disputa estava o Canto do Rio de Niterói, o Bonsucesso, Olaria, São Cristóvão, Madureira, Campo Grande…

Hoje o Bangu aniversaria (17/04) e eu não poderia deixar de prestar a minha homenagem a esse clube que foi campeão em 1.933 e 1.966 no Rio de Janeiro e que me deu tantas alegrias nesse período de grande sucesso e muito orgulho de ter sido levado para Moça Bonita pelo melhor presidente que passou pela sua história: Euzébio de Andrade.

Na foto durante um treino coletivo com o mito Ubirajara, Neco, Benício e Jair.

gilson_lira_bangu_1968