SÉRIE B: VASCO E BAHIA GARANTEM ACESSO E JOINVILLE ESTÁ REBAIXADO PARA A C

Acabou. Depois de 38 rodadas, a Série B do Campeonato Brasileiro se encerrou neste sábado (26) com muitas emoções. Mesmo jogando mal e enfrentando protestos da torcida, o Vasco conseguiu a vaga na Série A do ano que vem. O Bahia também garantiu o acesso. Confira como acabou a Série B 2016.

Mesmo com campanha irregular, Vasco garante acesso

vasco_111

Apontado inicialmente como o “time a ser batido”, o Vasco sofreu muito mais do que imaginou durante a Série B deste ano. Depois de liderar nas primeiras rodadas, a equipe passou a ter uma campanha irregular. O título foi perdido. Restou ao cruzmaltino a vaga na Série A conquistada na última rodada com a vitória de virada por 2 a 1 contra o Ceará no Maracanã. O Vasco acabou em 3º lugar no geral.

Bahia perde, mas está de volta à Série A

bahia

O Bahia é outra equipe que já foi campeã brasileira está de volta à Série A. Depois de uma recuperação no segundo turno, a equipe se deu ao luxo de perder do campeão (com todo o merecimento) Atlético (GO) por 2 a 1 neste sábado. Com o resultado, o Bahia garantiu o acesso com 63 pontos e em quarto lugar. O Náutico, que lutava pelo acesso, perdeu para o Oeste por 2 a 0 em casa e ficou em quinto lugar.

Oeste ganha e está garantido na Série B ano que vem

A “decisão da rodada” foi Náutico x Oeste. O primeiro lutava pelo acesso, o segundo para não cair para a Série C. Depois de uma ótima atuação dos paulistas, a equipe treinada por Fernando Diniz venceu por 2 a 0 e garantiu a permanência. A nota triste da história ficou por conta da invasão de torcedores do Náutico ao campo no final do segundo tempo. O jogo teve que ser paralisado por quase 15 minutos.

Mesmo ganhando, Joinville está rebaixado

O outro time que estava lutando na última rodada era o Joinville. Os catarinenses fizeram a sua parte: venceram o Vila Nova por 4 a 2 em casa. Porém, a vitória do Oeste derrubou os catarinenses (que haviam caído em 2015 da Série A para a B) para a Série C.

Passando a régua na competição

O Atlético (GO) acabou como campeão da Série B 2016 com três rodadas de antecedência. Além dos goianos, subiram Avaí (2º), Vasco (3º) e Bahia (4º). Equipes como Londrina (6º), Luverdense (9º) e Brasil (RS) (11º) surpreenderam positivamente.

Por outro lado, Goiás (13º), Paysandu (14º) e Paraná (15º) decepcionaram e, por pouco, não foram rebaixados. As equipes que foram para a Série C do ano que vem foram Joinville (17º), Tupi (18º), Bragantino (19º) e Sampaio Corrêa (20º).

Confira a classificação final do campeonato:

 

1 – Atlético (GO) 73 pontos

2 – Avaí (SC) 66

3 – Vasco da Gama (RJ) 65

4 – Bahia (BA) 63

5 – Náutico (PE) 60

6 – Londrina (PR) 60

7 – CRB (AL) 58

8 – Criciúma (SC) 56

9 – Luverdense (MT) 55

10 – Ceará (CE) 54

11 – Brasil de Pelotas (RS) 54

12 – Vila Nova (GO) 53

13 – Goiás (GO) 50

14 – Paysandu (PA) 49

15 – Paraná (PR) 41

16 – Oeste (SP) 41

17 – Joinville (SC) 40

18 – Tupi (MG) 33

19 – Bragantino (SP) 32

20 – Sampaio Corrêa (MA) 27

 

CONFIRA OS 30 QUE CONCORREM A BOLA DE OURO DE 2.016

bola-de-ouro-2016

Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar novamente favoritos.

 

A revista “France Football” divulgou nesta segunda-feira os nomes dos 30 jogadores indicados para a Bola de Ouro de 2016. Fazendo mistério, e revelando cinco nomes a cada duas horas, a publicação francesa apontou os considerados favoritos Cristiano Ronaldo, Bale, Griezmann e Messi, com Neymar como único brasileiro entre os postulantes. Além deles, foram confirmados como finalistas Agüero, De Bruyne (Manchester City), Aubameyang (Borussia Dortmund), Buffon, Higuaín, Dybala (Juventus), Godín e Koke (Atlético de Madrid), Ibrahimovic e Pogba (Manchester United), Iniesta, Suárez (Barcelona), Kroos, Modric, Pepe, Sergio Ramos, (Real Madrid), Lewandowski, Müller, Neuer, Vidal (Bayern de Munique), Lloris (Tottenham), Mahrez e Vardy (Leicester), Payet (West Ham) e Rui Patrício (Sporting). Será o primeiro troféu dado pela publicação desde o rompimento com a Fifa, confirmado em setembro deste ano.

Desta forma, o campeão europeu Real Madrid é o clube com mais candidatos entre os finalistas, com cinco jogadores. O Barcelona teve quatro atletas apontados, assim como o Bayern. O Juventus contou com três indicados, e Atlético de Madrid, Leicester, Manchester City, Manchester United tiveram dois. Apenas três dos 30 finalistas foram campeões da Eurocopa com a seleção portuguesa: Cristiano Ronaldo, Pepe e Rui Patrício.

A Bola de Ouro foi criada em 1956 pela “France Football” para eleger o melhor jogador europeu do ano, com votos de jornalistas. A partir de 1995, o prêmio passou a aceitar vencedores nascidos em outros continentes com a vitória do liberiano George Weah. Em 2010, a revista e a Fifa unificaram o troféu de melhor do mundo criando a Bola de Ouro Fifa, juntando votos de jornalistas e capitães e técnicos das seleções.

Porém, não houve acordo para a renovação do contrato. Após a posse do presidente Gianni Infantino, a “France Football” pediu 5 milhões de euros (R$ 17,5 milhões) à Fifa para continuar a parceria, proposta recusada pelo substituto de Joseph Blatter. No dia 9 de janeiro de 2017, a entidade voltará a entregar um prêmio seu, agora batizado de “Fifa’s Best”.

Durante a parceria entre “France Football” e Fifa,somente dois jogadores conseguiram levar a Bola de Ouro. Messi ganhou em 2010, 2011, 2012 e 2015. E Cristiano Ronaldo comemorou o prêmio em 2013 e 2014. Campeão da Euro com Portugal, o camisa 7 desponta como favorito para as premiações de 2016.

HISTÓRICO DE VENCEDORES

De 1956 a 1994, apenas jogadores europeus e que atuavam no continente podiam ganhar o prêmio, entregue de acordo com votos de jornalistas escolhidos pela publicação. Diego Maradona, por exemplo, nunca foi premiado, mesmo no auge por Barcelona Napoli nos anos 80.

Em 1995, a publicação francesa mudou as regras da votação e o liberiano George Weah foi o primeiro jogador nascido fora da Europa a ganhar o troféu. No mesmo ano, a “France Football” resolveu se desculpar com Maradona: alguns meses antes de entregar o prêmio para o africano, a revista chamou o argentino e lhe deu uma Bola de Ouro por tudo que já havia feito nos campos europeus.

Já o prêmio “Melhor do Ano Fifa” foi criado pela entidade que comanda o futebol em 1991, com votos apenas de treinadores de seleções: o meia Matthäus, capitão da Alemanha campeã mundial um ano antes, foi o vencedor. Em 1992, o holandês Van Basten foi o primeiro a ganhar a Bola de Ouro e o troféu da Fifa na mesma temporada.

Enquanto jornalistas votavam na Bola de Ouro, somente técnicos participavam do júri do Melhor do Ano Fifa. A regra mudou em 2004, quando a entidade passou a contar votos também dos capitães das seleções.

De 1991 a 2009, os dois prêmios tiveram os mesmos vencedores em 12 anos. Depois de cinco anos seguidos com “dobradinha”, a “France Football” e a Fifa fizeram um acordo para a criação da Bola de Ouro Fifa em 2010, contando votos de jornalistas, técnicos e capitães. Segundo o jornal espanhol “As”, a entidade pagou 15 milhões de euros ao grupo editorial Amaury, dono da revista, para associar seu nome ao prestígio da Bola de Ouro.

Assim como havia homenageado Maradona quando abriu a eleição para estrangeiros em 1995, a “France Football” decidiu refazer suas contas para incluir Pelé no prêmio mundial. Em dezembro de 2015, a revista divulgou que o Rei seria o vencedor da Bola de Ouro em sete ocasiões, tornando-se assim o recordista da premiação: 1958, 1959, 1960, 1961, 1963, 1964 e 1970.

BERNARDINHO ENCERRA CICLO VITORIOSO NA SELEÇÃO DE VÔLEI

bernardinho-e-o-filho-bruninhoBernardinho abraça o filho Bruno após a conquista do ouro.

 

O técnico Bernardinho encerrou a sua vitoriosa passagem pela seleção masculina de vôlei após a conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, e disse que o  motivo foi o cansaço pelo acúmulo de funções – ele também comanda o time feminino do Rio de Janeiro.

“Preciso escolher. Na minha idade, não é mais possível seguir em duas frentes”, afirmou Bernardinho, de 57 anos, em uma entrevista exclusiva à emissora portuguesa Sport TV que será exibida na noite desta quarta-feira e à qual a Agência Efe teve acesso.

“Estou há 20 anos nessa vida dupla, como treinador da seleção masculina e à frente de um clube no vôlei feminino. Tirei uma semana de férias após a Olimpíada, mas logo na sequência já tenho de reassumir o Rexona e preparar a equipe para uma nova temporada (da Superliga). Não me sobra tempo para descansar”, acrescentou o treinador.

Bernardinho deixou o futuro em aberto logo após a conquista do seu segundo ouro olímpico. No sul de Portugal, local que escolheu para descansar após os Jogos, o técnico refletiu sobre os próximos passos e admitiu que ficou mais perto de deixar a seleção brasileira.

“Passei uma semana no Algarve (Portugal), contemplando as praias locais, e confesso que esta pausa me fez refletir, me fez pensar sobre o meu futuro”, disse Bernardinho na entrevista, que foi gravada nos estúdios da Sport TV em Lisboa.

À frente da seleção masculina de vôlei por quatro ciclos olímpicos, Bernardinho conquistou duas medalhas de ouro, em Atenas 2004 e Rio 2016, e outras duas de prata, em Pequim 2008 e Londres 2012. Na entrevista à emissora portuguesa, a primeira após o título em casa, o treinador confessou se sentir “desgastado” por ter de se explicar no Brasil quando o lugar mais alto do pódio não era alcançado.

Bernardinho sai deixando o seu nome na história como um dos melhores técnicos de seleções no Brasil, independente da modalidade. Foi campeão como atleta e mais ainda como técnico. Para o seu lugar foi escolhido o grande craque Renan Dal Zotto.

Renan Dal Zotto, conhecido como Renan, (São Leopoldo, 19 de julho de 1960) é um ex-jogador e será o técnico da seleção brasileira de voleibol, substituindo Bernardinho. Renan foi Diretor de Seleções de quadra da Confederação Brasileira de Voleibol, cargo que ocupou até os Jogos Olímpicos do Rio. É sócio da Par Mais Planejamento Financeiro e ministra palestras no Brasil e no exterior.

Fez parte da “geração de prata” do voleibol brasileiro junto com Montanaro, William, Bernard, Bernardinho, Carlão e outros. Representou o Brasil em Olimpíadas, Jogos Pan-americanos, Jogos da Amizade, Mundiais, Mundialitos e Sul-americanos. Já atuou como técnico e comentarista de televisão. É pai de Enzo Blando Dal Zotto e Gianluca Blando Dal Zotto, sendo casado com Annalisa Blando Dal Zotto, de descendência italiana.

Em 1988 participou de sua última Olimpíada como atleta, em Seul, ficando em quarto lugar. No mesmo ano transferiu-se para a Itália, onde encerrou sua carreira em 1993. Nos cinco anos de Itália conquistou dois títulos nacionais, duas Copas Itália, três títulos europeus e um Mundial de Clubes. Em 1993, começou sua carreira de técnico comandando a equipe do Palmeiras/Parmalat. Nesta temporada conquistou o vice-campeonato na Superliga Nacional e foi vice-campeão paulista.

Neste dia 11 de janeiro de 2017 foi anunciado como novo técnico da Seleção Brasileira de Voleibol Masculino, substituindo o multicampeão Bernardinho.

PALMEIRAS COMEMORA VITÓRIA SOBRE O INTER COMO SE JÁ FOSSE O TÍTULO

 

palmeiras-1x0-inter  Mina e Gabriel de Jesus correm para abraçar Cleiton Xavier.

 

O desgaste emocional apresentou-se até maior que o físico. A vitória por 1 a 0 sobre o Internacional gol marcado por Cleiton Xavier aos 18’ do primeiro tempo, aproximou o Palmeiras ainda mais do título do Campeonato Brasileiro, e a comemoração no Allianz Parque atingiu proporções surpreendentes para quem administra com cautela a disputa pela taça. Teve choro, reza no gramado e inúmeros agradecimentos.

A partir do momento do apito final por parte do árbitro Péricles Bassols, a festa no Allianz Parque tomou proporções de título. Apesar do tradicional grito de ‘é campeão’ ainda não figurar nas cadeiras da arena palmeirense, a vibração das 30 mil pessoas contagiou o elenco.

A atitude mais chamativa ocorreu quando jogadores, comissão técnica e funcionários se reuniram praticamente no centro do gramado para uma roda de oração. Em meio ao ato de fé dos atletas, as milhares de pessoas no Allianz Parque entoaram o hino palmeirense.

Os discursos dos jogadores e a reação imediata do torcedor atingiram diretamente o elenco. O meio-campista Dudu e o goleiro Jailson eram os mais emocionados e não esconderam as lágrimas ao deixarem o gramado; o alívio pelo resultado positivo era evidente.

A pressão exercida pelo Santos, que mais cedo derrubara a diferença para apenas três pontos, refletiu dentro do elenco. O próprio Cuca admitiu o nervosismo do elenco no último domingo. A tensão passou apenas com o apito final e a conversa no meio do gramado, que terminou em agradecimento aos céus.

“É difícil, você passar o tempo todo dentro de um clube grande que não ganha há 22 anos. É uma carga em cima do Dudu, que tem 24 anos. Ou do Guedes, que tem 19. Do Jesus, que tem 19. Do Tchê Tchê. É um peso em cima desses meninos, peso enorme que pouco a pouco vai saindo”, contou Cuca.

O técnico, inclusive, atribui o futebol mais pragmático ao psicológico. Mesmo consolidado na liderança e a apenas sete pontos de conquistar o título sem depender de qualquer outro resultado, o Palmeiras ainda sofre com a pressão, segundo o próprio treinador.

“O dia que o Palmeiras for campeão vocês vão ver outro tipo de futebol. Vai sair um caminhão de cimento das costas e os caras vão jogar leves”, declarou.

“Não é fácil jogar num Palmeiras há tanto tempo sem o título. A gente estava 15 partidas sem perder e perdemos para o Santos, uma coisa normal. Administramos bem a derrota e por isso jogamos bem hoje”, analisou o treinador.

Para retirar a carga emocional do elenco, Cuca e a comissão técnica optaram por dois dias de folga para os jogadores. O elenco, com exceção aos convocados Gabriel Jesus (Brasil) e Yerry Mina (Colômbia), se reapresenta apenas na quarta-feira, dia de trabalho em dois períodos.

Fonte: UOL esportes.

APÓS 22 ANOS O PALMEIRAS É CAMPEÃO BRASILEIRO

palmeiras-2

ENEACAMPEÃO

A palavrinha pode ser feia, mas a conquista foi linda! Com a vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense na arena, neste domingo, o Palmeiras garantiu o seu nono título brasileiro.

 Na lista oficial da CBF, é o clube que mais conquistou a competição nacional – agora com um a mais que o Santos, o único que poderia estragar a festa alviverde nesta 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas perdeu por 2 a 0 para o Flamengo, novo vice-líder, no Maracanã.

 Faltando uma rodada para o fim, o Verdão chegou à 23ª vitória (o que mais venceu), além de oito empates e seis derrotas (o que menos perdeu). São 77 pontos, sete de vantagem para o segundo colocado. É o time que mais fez gols (60) e menos tomou (31). Inquestionável!

HERÓI IMPROVÁVEL

O gol do jogo foi marcado por Fabiano, aos 25 minutos do primeiro tempo. Em cobrança de falta, Dudu rolou para Zé Roberto, que mandou a bola rasteira para a entrada da área. Gabriel Jesus fez um corta-luz, Moisés tocou de letra, e Fabiano mandou por cobertura, sem chances para Danilo. Golaço! Sem querer? Não importa… Foi o primeiro do lateral-direito com a camisa alviverde.

NÃO PERCA A CONTA!

O Palmeiras foi campeão brasileiro em 1960, 1967 (Taça Brasil), 1967 (Torneio Roberto Gomes Pedrosa), 1969, 1972, 1973, 1993, 1994 e, agora, 2016, pela primeira vez na era dos pontos corridos, encerrando um jejum de 22 anos. Quem ergueu a taça história foi o capitão Dudu.

PRIMEIRO TEMPO

O Palmeiras nem precisou marcar para que a torcida começasse a fazer a festa na arena. Logo aos 2 minutos, o estádio explodiu com a informação de que o Flamengo havia aberto o placar contra o Santos, no Maracanã. Tranquilo em campo, controlando o jogo com passes precisos e marcação firme, a equipe da casa foi à rede aos 25, com Fabiano batendo por cobertura após jogada ensaiada de falta.

A Chapecoense, que tentava se aproximar do gol de Jailson na base do toque rápido (chegou a levar perigo em cabeçada de Sérgio Manoel), sentiu o gol e deu campo para o Palmeiras jogar. O time de Cuca, então, tomou conta de vez da partida e criou chance para mais gols. Aos 43, Gabriel Jesus recebeu lindo passe de Moisés e só não marcou porque Danilo fez grande defesa.

SEGUNDO TEMPO

A vantagem adquirida no primeiro tempo deu muita tranquilidade ao Verdão, que começou o segundo tempo comandando todas as ações em campo. Trocou passes com correção e envolveu a Chapecoense, que só conseguiu passar a linha de meio-campo aos 25 minutos.

À medida em que o tempo ia passando e o título se aproximava, a torcida ia trocando a apreensão pela festa. O segundo gol do Flamengo só confirmou isso. Abraços, sorrisos e algumas lágrimas para festejar o novo título nacional do Verdão. Ao final do jogo, prêmio para um ídolo. Fernando Prass, que estava parado desde agosto, por lesão, entrou aos 45 para ser festejado pela torcida. Apito final, explosão do estádio e a alma lavada.

AMÉRICA MG VENCE ATLÉTICO PR E DEIXA A LANTERNA: 1 X 0

america-x-atletico-prAmérica MG 1×0 Atlético PR, jogo de poucas oportunidades.

 

O América-MG conseguiu nesta segunda-feira um importante resultado para os dois extremos da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Jogando na Arena Independência pela 32ª rodada da competição, o time do técnico Enderson Moreira superou um jogo de poucas oportunidades e bateu o Atlético-PR por 1 a 0, graças a um gol do zagueiro Éder Lima nos minutos finais.

Na parte de cima da tabela, a derrota custou caro ao Atlético-PR. O time se manteve com 48 pontos e termina a rodada na sétima posição, superado pelo Corinthians – o time paulista foi a 49 após empatar com o Flamengo no Rio de Janeiro e assumiu a sexta colocação, entrando na zona de classificação para a Copa Libertadores da América 2017.

O América-MG, por sua vez, chegou a 24 pontos e deixou a lanterna do Brasileiro. Pior para o Santa Cruz, que permaneceu com 23. De quebra, ainda respirou na briga contra o rebaixamento – os americanos têm 13 pontos de diferença para Sport (16º), com 18 pontos em disputa ainda pela frente.

 

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 1 X 0 ATLÉTICO-PR

Data: 24/10/2016 (segunda-feira)
Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (Fifa-SP)
Auxiliares: Rodrigo F. H. Corrêa (Fifa-RJ) e Miguel C. R. da Costa (SP)
Renda: R$ 7.450,00
Público: 1.315 pagantes
Cartões amarelos: Nenhum
Gols: Éder Lima, aos 39 min do 2º tempo (AMG)

AMÉRICA-MG
João Ricardo; Jonas, Éder Lima, Messias (Makton) e Ernandes; Juninho e Leandro Guerreiro; Danilo Barcelos, Tony e Matheusinho (Renato Bruno); Nixon (Michael)
Técnico: Enderson Moreira

ATLÉTICO-PR
Weverton; Léo, Wanderson, Thiago Heleno e Renan Lodi (Nicolas); Otávio e Hernani; Matheus Rossetto (Nikão), Lucho González e Lucas Fernandes (Giovanni); André Lima
Técnico: Paulo Autuori

 

CÉSAR GAÚCHO VOLTA AO OPERÁRIO VG APÓS POLÊMICAS E GARANTE TIME FORTE

César Gaúcho

César Gaúcho (de chapéu) volta ao Operário prometendo título.

O empresário César Gaúcho está de volta ao Operário Várzea-grandense. Foi ele o responsável pelo ressurgimento da equipe em 2013 – o Chicote da Fronteira estava inativo desde 2002. Naquele ano, o time conquistou o acesso para a elite do Mato-Grossense, mas na temporada seguinte, o dirigente acabou brigando com a diretoria e deixou o clube. Agora, retorna com mais um projeto ousado prometendo um time forte e que vai brigar pelo título. Nomes de peso podem ser contratados – em sua primeira passagem pelo clube contratou jogadores como o atacante Acosta e o meia Ruy Cabeção.

– As divergências ficaram no passado, estamos voltando com todo o gás. Vou trabalhar no departamento de futebol, buscando jogadores e patrocínios. Já temos muita coisa em vista e o torcedor pode esperar um Operário brigando pelo título – disse Gaúcho ao GloboEsporte.com.

+Após brigas, César Gaúcho renuncia ao comando do Operário

Quando César Gaúcho foi presidente do Operário VG, o Conselho Deliberativo era formado pelo hoje presidente Maninho de Barros. Ambos brigaram e ao que tudo indica fizeram as pazes. A saída de César foi conturbada após brigas com jogadores e comissão técnica. Dívidas com hotel e atletas também teriam ficado pra trás.

– É fácil falar isso, ninguém lembra de tudo que fiz de bom pro Operário. Quando deixei o clube, ficou tudo acordado que o novo presidente iria arcar com as despesas. Fizeram de tudo para me tirar. Mas isso é passado, agora é um novo ano.

O Operário VG já conta com jogadores conhecidos no cenário nacional como o atacante Geílson e o lateral/meia Fabinho Capixaba. A equipe busca ainda um medalhão para fortalecer a marca.

Nesta sexta-feira, a diretoria anunciou a chegada do lateral-direito Gean, ex-Cuiabá, que chega por empréstimo até o fim do Mato-Grossense. A estreia no estadual será no dia 29 de janeiro, contra o Mixto, na Arena Pantanal, às 18h.

 

 

GOLEADA DO CRUZEIRO DERRUBA TÉCNICO DO FLU: 4 X 2

 

cruzeiro_fluminense_1Cruzeiro comemora a goleada em cima do Flu em BH.

 

Ao longo da semana, o discurso do elenco do Cruzeiro era de que o torcedor que comparecesse ao jogo contra o Fluminense, no Mineirão, seria recompensado. Quem esteve no Gigante da Pampulha na tarde deste domingo (06/11/2016) viu uma chuva de gols e com certeza foi embora para casa feliz. Sobretudo pelo fato de atletas do setor ofensivo terem quebrados longos jejuns. Rafael Sobis, Willian e Alisson, que não balançavam a rede há muito tempo, voltaram a comemorar e melhoraram suas marcas pessoais. Arrascaeta também deixou o dele. O gol de Richarlison, do Flu, chegou a assustar, pois foi o primeiro da partida. Mas a Raposa conseguiu a reação, goleou o adversário por 4 a 1 e chegou a 44 pontos (12ª posição), número que encaminha a permanência na elite do Campeonato Brasileiro. A quatro rodadas do fim da Série A, a seis de vantagem sobre o 17º colocado Internacional.

O próximo objetivo do Cruzeiro é garantir a permanência matemática na Primeira Divisão. Isso só será possível no dia 16 de novembro (quarta-feira), às 21h45, quando a equipe pegará o Sport na Ilha do Retiro, pela 35ª rodada.

Já o Fluminense, cada vez mais distante do sonho da Copa Libertadores, encerrou a 34ª rodada em nono lugar, com 48 pontos. No dia 15 (terça-feira), às 17h, o Tricolor das Laranjeiras receberá o Atlético-PR, no Maracanã.

O jogo

Com apenas duas mudanças em relação ao empate sem gols com o Grêmio, pela Copa do Brasil – Bryan e Rafael Sobis nos lugares de Edimar e Robinho –, o Cruzeiro levou susto nos primeiros minutos de jogo. Cícero, aos 5min, arriscou de longa distância e exigiu grande defesa de Rafael. Aos 9min, Henrique errou passe no meio-campo, Scarpa recuperou a bola e tocou para Richarlison. O ex-camisa 9 do América se livrou de dois adversários e abriu o placar no Mineirão: 1 a 0. Pouco depois, o jovem de 19 anos ainda teve outra grande oportunidade, mas bateu cruzado em direção à linha de fundo.

Somente a partir dos 20 minutos é que o Cruzeiro se encontrou no jogo e passou a ocupar o campo de ataque. Ao se acertar, a Raposa empatou aos 25min. Numa triangulação entre Willian e Henrique, o camisa 9 escorou para Rafael Sobis, que bateu bonito com o pé esquerdo: 1 a 1. Foi o quarto gol de Sobis, que não marcava desde o dia 4 de agosto – há pouco mais de três meses –, na vitória por 4 a 2 sobre o Internacional, no Independência, pela 18ª rodada do Brasileiro.

A situação do Flu ficou pior no momento em que Levir Culpi precisou substituir Richarlison, machucado, por Magno Alves. O Cruzeiro deixou de ser incomodado na defesa e mostrou confiança para buscar a virada. Que veio num lance fortuito, aos 45min. Num cruzamento esquisito de Alisson, Willian se atirou em direção à redonda e conseguiu o desvio de cabeça. A bola bateu na trave antes de entrar: 2 a 1. O Bigode estava sem balançar a rede desde 24 de julho – derrota por 2 a 1 para o Sport, no Mineirão, pela 15ª rodada.

O terceiro gol cruzeirense veio já no segundo tempo. Com apenas 48 segundos, Arrascaeta roubou a bola de Edson, avançou à intermediária do Fluminense e bateu de fora da área, no canto direito de Júlio César: 3 a 1. Aos 5min, o uruguaio voltou a participar, dessa vez como garçom. O passe açucarado em direção à grande área encontrou Alisson em ótimas condições para chutar a gol. Depois de quatro meses, o camisa 11 deixou sua marca no Mineirão: 4 a 1. Nos acréscimos, o Flu diminuiu em bola dividida entre Magno Alves e Ramón Ábila: 4 a 2.

RECORDAR É VIVER

alt

Em pé: Lira, Joel Diamantino, Carlos, Márcio, Gaguinho, Paulo.

Agachados: Polula,  César, Bife, Gilson Lira e Ruiter.

Operário(VG): Campeão Estadual em 1.973 e Bicampeão Copa Cuiabá.

FLA VENCE SANTOS NA DESPEDIDA DO MARACANÃ: 2 X 0

 

diego-comemora-o-gol-contra-o-santosDIEGO COMEMORA O GOLAÇO CONTRA O SANTOS NO MARACA.

Flamengo e Santos entraram no gramado do Maracanã com as respectivas vagas diretas na Libertadores de 2017 asseguradas e praticamente nenhuma possibilidade de título, mas disputaram um jogo movimentado. Afinal, estavam e estarão em disputa na última rodada R$ 3,4 milhões – valor que corresponde à diferença de premiação para os clubes do segundo para o terceiro lugar no campeonato. Desde o primeiro minuto, futebol ofensivo. O Santos foi o primeiro ameaçar, o Fla letal ao responder, e o placar de 1 a 0, gol de Guerrero aos quatro minutos de jogo, prevaleceu quase até o fim. Mas deu tempo para um golaço de Diego para selar o resultado: 2 a 0. A equipe de Dorival Júnior teria confirmado o vice-campeonato – e o prêmio mais gordo – neste domigo se tivesse vencido o confronto.

Com 70 pontos, o Flamengo já tem assegurada uma das três vagas diretas na Libertadores de 2017 e evitou encerrar o ano sem vencer no Maraca. Mas o segundo lugar na classificação geral ainda pode ser tomado pelo Santos. O clube tem 68, também está garantido no torneio continental, e pega o lanterna e rebaixado América-MG na Vila Belmiro no próximo fim de semana. Na última rodada, o clube da Gávea enfrentará o Atlético-PR na Arena da Baixada e, se vencer, ficará com os milhões a mais na premiação. Para o Santos, resta vencer e torcer por um tropeço dos rubro-negros.

Público e renda

Público presente: 37.615
Público pagante: 33.924
Renda: R$ 1.601.982,00