VIAJOR

viajante

De muito longe venho,

Solidão é o que mais tenho.

Há tristeza no meu canto,

Na face rola o pranto.

 

Já labutei no engenho,

Lá foi duro o meu empenho.

Mas se não como do que planto,

Nessa vida não sou santo.

 

Já procurei o amor,

Já tentei fugir da dor,

Não sei mais o que fazer.

 

Então peço ao Criador,

Que dê a esse viajor

Um cantinho pra morrer.